Prefeitura Municipal de Andirá - Paraná

A Audiência Pública realizada em Andirá, nesta terça-feira , dia 08, pela 1 Vara  Federal da Subseção da Justiça Federal de Jacarezinho lotou o Cine Teatro São Carlos, numa noite marcada por muitos manifestos de autoridades e moradores proprietários de imóveis localizados nas margens da faixa de domínio da ferrovia. O objetivo do encontro, proposto e intermediado pelos Juízes Federais Dr. Rogério Cangussu Dantas Cachini e Dr. Gustavo Alves Cardoso, foi obter esclarecimento sobre questões e circunstancias de fato  a respeito da real situação nas áreas de domínio da ferrovia, o que tem gerado o ajuizamento de diversas ações, por parte da concessionária  Rumo Malha Azul S.A, inclusive, com pedido de demolição das residências.

Dezenas de famílias, principalmente moradoras da rua Engenheiro Rebouças, na Vila Industrial (muitas delas moradoras há mais de 40 anos no local), expressaram, com emoção, o descontentamento pela possibilidade de remoção do local. Elas uniram o discurso e pediram às autoridades presentes pela retirada do trecho da ferrovia, justificando os prejuízos de caráter financeiro, emocional, social e histórico que haveriam num possível caso de demolição das residências e retirada das famílias. Ao todo , 14 representantes dos moradores manifestaram-se; todos, neste norte de discurso, pela retirada da linha.

Vereadores, Secretários Municipais, Procuradores do município, também expressaram posicionamentos em defesa dos moradores. A Audiência contou, também, com a presença da Juíza de Direito de Andirá,  Dra. Paula Chedid Magalhães; Dr. Luiz Antônio Ximenes Cibin, representante do Ministério Público Federal; Dra. Cathy Mary do W. Quintas, Procuradora Federal do DNIT (Departamento Nacional de Infraestrutura de Transportes); Dr. Luciano Sacramento, Coordenador Geral do Patrimônio Ferroviário, entre outras autoridades.

A Prefeita de Andirá, Ione Abib, expressou posicionamento forte em defesa dos argumentos dos moradores. Também com discurso emocionado, ela apelou às autoridades e à empresa por uma solução conjunta, estratégica, em defesa do povo, e agradeceu a Justiça Federal pela mobilização e oportunidade dada à população para o debate e apresentação das realidades situacionais. “Inicialmente quero agradecer à Justiça Federal que deu oportunidade para que nossa voz, a voz do povo andiraense seja ouvida, neste momento tão difícil em que vemos o risco do deslocamento de mais de cem famílias que têm seus corações encravados ao logo dos trilhos da linha férrea que corta Andirá. Como Prefeita de Andirá e moradora há mais de 45 anos, posso testemunhar que a ocupação foi feita de forma pacífica e constante. Não podemos jamais pensar em desabrigar estas famílias, destruir os vínculos delas com os vizinhos e amigos com os quais já formaram uma outra grande família. Alí, esta grande família, freqüenta a mesma escola, o mesmo posto de saúde, as mesmas igrejas”, destacou. “Eu quero fazer uma apelo, para que pensemos mais nas questões humanitárias. Esquecendo a questão financeira. A opção mais correta é a retirada dos trilhos  da nossa área urbana, assim como está acontecendo em várias cidades”, complementou.

Fonte: Tiago Dedoné / Secretaria de Comunicação