Prefeitura Municipal de Andirá - Paraná

Proteger as nossas crianças e ampliar informações e conscientização sobre a importância da vacinação. Com esses objetivos, a Prefeitura de Andirá, por meio da Secretaria Municipal de Saúde inicia nesta segunda-feira, 6, a mobilização da campanha de vacinação contra o sarampo e paralisia infantil (poliomielite). A imunização acontece até 31 de agosto nas unidades de saúde (Posto Central e Unidades Básicas de Saúde dos bairros) e tem como públicos-alvos crianças menores de cinco anos. O Dia D também já está agendado para o dia 18 de agosto.  A Secretaria Municipal de Saúde lembra que é necessário levar o cartão de vacinas.

Neste ano, o governo federal aproveitou a mobilização nacional contra a paralisia infantil, que sempre acontece em agosto, para também imunizar as crianças contra o sarampo, já que os casos da doença aumentaram no País. Outra preocupação é relacionada ao fato de muitas pessoas deixarem de se vacinar. Em algumas cidades, a imunização está abaixo da meta de 50% de sarampo e até da poliomielite, doença erradicada há anos no Brasil. “Nós temos que mobilizar. Há uma preocupação com esses casos. Por isso temos que conscientizar a população sobre a importância de se proteger. Contamos com a dedicação dos pais e responsáveis sobre o tema”, ressalta a Secretária Municipal de Saúde, Ednyra Godoy, informando, ainda, que a equipe já passou por uma reunião de capacitação e planejmanento com a 18 Regional de Saúde, para elencar as estratégias de trabalho. A Secretaria Municipal de Cultura e Comunicação também fará parte dos colaboradores na ação.

Sobre o Sarampo

A prevenção contra o sarampo é a tríplice viral, medicação injetável que também protege contra a caxumba e a rubéola. O sarampo é transmitido através da fala, tosse, respiração e secreções expelidas pelo doente. Considerada uma doença infecciosa altamente contagiosa, ela se manifesta por manchas avermelhadas na pele que se iniciam no rosto e progridem em direção aos pés.

Outros sintomas também conhecidos são febre, tosse, mal-estar, conjuntivite, coriza, perda do apetite e manchas brancas na parte interna das bochechas. A transmissão ocorre de quatro a seis dias antes e até quatro dias após o aparecimento do exantema. O período de maior transmissibilidade ocorre dois dias antes e dois dias após o início do exantema. O vírus vacinal não é transmissível.

Sobre a paralisia infantil

A poliomielite, também conhecida como paralisia infantil ou simplesmente pólio, é uma doença grave que é provocada por um vírus que afeta o sistema nervoso e pode levar à imobilidade irreversível dos membros. A principal maneira de evitá-la é por meio da vacina que pode ser oral ou injetável, dependendo do cartão da criança.

Embora a imunização esteja disponível gratuitamente no Sistema Único de Saúde (SUS), o  Ministério da saúde alertou em nota que mais de 300 municípios brasileiros estão com cobertura vacinal abaixo do esperado, o que é um sinal vermelho para o risco de volta da doença, erradicada desde 1994 no País.


 

Fonte: Tiago Dedoné / Da Seccom